Artigos e Notícias > O que muda no marketing digital com a Lei de Proteção de Dados?

O que muda no marketing digital com a Lei de Proteção de Dados?

 

Responsável por coletar grande quantidades de informações esse segmento preciso de um cuidado muito maior para cumprir as regras

Com a nova regulamentação da Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD (No 13.709), que entra em vigor em agosto de 2020, as empresas de um modo geral vão precisar reavaliar suas ações de marketing digital no Brasil. Um dos segmentos que demandará um esforço extra é o de marketing digital, por usarem diversos meios tecnológicos massivos para atingir grande público. Mas o que muda?

Segundo a advogada Ana Cristina Blasi, especialista em Direito Digital e LGPD, a partir do ano que vem as empresas irão demandar um esforço maior para fazer a coleta e a gestão dos dados, além de ter os consentimentos para o usá-las, uma vez que endereço, nome, e-mail, redes sociais, telefone são considerados informações pessoais e assim protegidas pela lei. “Quando uma empresa for coletar informações de um cliente, ela deve obter somente as que necessita para desempenhar seus negócios e não deve solicitar o que ainda não necessita ou que necessitará somente no futuro”, afirma.

Outro ponto importante, de acordo com Blasi, é a gestão do consentimento do uso dessas informações, e deixando claro para que, quando e como serão usados esses dados, em uma linguagem clara e objetiva. “Se houver alterações ou novas finalidades de uso, deve obter um novo consentimento dos usuários antes da utilização das mesmas. Também deve ser dada aos usuários a opção de alterar seus dados e consentimento a qualquer momento e o principal, dar a opção do esquecimento, ou seja, a empresa deve apagar todos os dados referente ao usuário que assim desejar”, explica.

A advogada ressalta que as agências terão que modificar o modus operandi no momento de captar dados para ações de marketing. É recomendável que as empresas criem comitês de segurança da informação para ajustar termos e condições, políticas de privacidade, sistemas de acesso, dentre outros. “Será necessário identificar e realizar o inventário de dados pessoais, incluindo sua classificação, informações sobre quem controla, quem processa e como são transferidos; avaliar o nível de proteção de dados de todos os envolvidos, sejam próprios ou de terceiros; definir e implantar soluções, políticas e governança de dados em toda a organização e, por fim, controlar e auditar continuamente o nível de proteção, avaliando constantemente possíveis vazamentos internamente e externamente. Tudo isso deve estar contido em um relatório de impacto à proteção dos dados pessoais, que poderá ser exigido pela Autoridade Nacional”, alerta Ana Blasi.

Por outro lado, além de causar um aumento no volume de trabalho das empresas, a lei também vai proporcionar grandes possibilidades no uso dos dados. Segundo Matheus Dellagnelo, CEO da Indicium Tech, poucos sabem como utilizar os dados para o benefício corporativo. “Trabalhamos com empresas de diversos tamanhos e setores, estamos observando um momento de transição na forma de utilização das informações. As companhias começaram a olhar para dentro dos seus bancos de dados e, com o auxílio de técnicas como machine learning, big data e inteligência artificial, estão tendo retornos financeiros significativos”, afirma.

Ou seja, apesar da nova lei gerar um desafio muito grande de adequação e investimento, esse momento pode ser visto como uma excelente oportunidade de renovação no formato de utilização de informações e gerar ganhos significativos. “Trabalhamos na estruturação de dados de empresas para adequação na LGPD, mas, além disso, estamos organizando a base de dados para diversas utilizações, tanto de modelagem preditiva como de automatizações de processos”, destaca Matheus.

Para esclarecer algumas dúvidas e auxiliar as empresas a se preparem para as mudanças que a LGPD vai proporcionar, a Blasi Valduga desenvolveu o “Guia LGPD: Sua empresa está preparada para a Lei Geral de Proteção de Dados?”, um material gratuito com informações sobre as principais mudanças da lei e indicações de o que será preciso fazer para garantir a segurança, a privacidade e a proteção das informações fornecidas por clientes, potenciais clientes e outros contatos.

Faça download do material. E, se você ficar com alguma dúvida é só entrar em contato conosco.